MEMÓRIA LUSÓFONA

Dezembro 16 2010

São muitos os macacos  de imitação que 
escrevem sobre a Pedra de Dighton!
Por Manuel Luciano da Silva, Médico

Fico deveras admirado com o alto grau de ignorância que ainda continua a haver em livros e vários artigos que aparecem nos médias, incluindo na Internet, a respeito das inscrições  originais da Pedra de Dighton!

Muitos, dos chamados historiadores, continuam a repetir os mesmos erros, usando as notas de rodapé – aquilo a que eu  gosto de  chamar notas  de chulé --  , copiando das várias publicações, sem fazerem um menor esforço para verificar se essas referências têm ou não valor histórico. É simplesmente patético!  Continuam a usar informação originada há mais de oitenta anos! Como é possível estarem  tão atrasados!

(1)   Em primeiro lugar, continua a haver uma tendência para afirmar que as inscrições originais da Pedra de Dighton foram feitas  pelos escandinavos ou vikings. Isto é um erro muito crasso, porque os escandinavos vindos do Atlântico norte NUNCA poderiam navegar  até chegarem a entrar no rio Taunton, usando o único tipo de vela que possuíam que era a vela quadrada.  Nunca mais! Ainda hoje não há ninguém que seja capaz de navegar, contra a forte Corrente do Golfo e vir da Terra Nova para a Baía de Narraganset.

Nós temos ainda hoje as mesmas condições laboratoriais  marítimas que já existem há milhões de anos   e que são as mesmas correntes oceânicas  e as correntes dos ventos. Vamos  fazer uma experiência. Pegamos num barco típico escandinavo, com a vela quadrada, e vamos tentar guia-lo da Terra Nova para a Baía de Narraganset. Não conseguiremos! Porquê? Porque o barco escandinavo não tem  uma vela latina, ou triangular,  capaz de navegar contra o vento, usando a técnica  do ziguezague!

(2)   É para mim verdadeiramente espantoso ver tantos escritores emitirem a sua opinião a respeito das inscrições da Pedra de Dighton sem possuírem a informação básica sobre os símbolos nacionais portugueses tais como a bandeira de Portugal, as características únicas da Cruz da Ordem de Cristo, o tipo de algarismos e até o formato das letra usadas em Portugal no tempo dos descobrimentos. Se estes escritores  desejassem afirmar um diagnóstico honesto, deveriam ir a Portugal e ver com os seus próprios olhos os símbolos nacionais portugueses e então sim, só depois disso,  estariam numa posição para se pronunciarem  sobre  diagnóstico verdadeiro das inscrições.

(3)   Outro erro terrível é a maneira como vários escritores continuam a serem macacos de imitação, repetindo a mensagem em latim iniciada por Edmundo Delabarre e atribuída por ele  ao navegador Miguel Corte Real:   “V DEI hic DUX IND” ( Voluntate Dei hic dux indorum) “Chefe dos índios neste lugar por graça de Deus”.

Os navegadores portugueses NUNCA usaram frases em latim  para marcarem posse  das novas terras que descobriram na África, Ásia ou até na América do Sul.

Porque continuam  os escritores a repetir tamanho  erro? Párem com essa porcaria! Isso é simplesmente estupidez  e só revela ignorância dos factos históricos.

A coisa verdadeira

Ao analisamos  o valor histórico da Pedra de Dighton, devemos considerar, exclusivamente,  as inscrições da Pedra de Dighton!

As inscrições gravadas na face da Pedra de Dighton é que são a real e verdadeira história da Pedra de Dighton!

Se o leitor formular uma hipótese e não existirem  nenhumas gravações na face da Pedra de Dighton para confirmar a sua hipótese, é muito simples que você  não tem  NADA em que possa afirmar a sua teoria!

(1)   Não existem NENHUMAS letras rúnicas (típicas dos escandinavos) gravadas na face da Pedra de Dighton, nem nenhum símbolo nacional escandinavo.  Portanto não existe NENHUMA teoria escandinava!

(2)   Não existem nenhumas  letras  ou símbolos fenícios. Portanto não existe NENHUMA teoria fenícia!

(3)   SÓ ESTÃO GRAVADOS  na face da Pedra de Dighton  símbolos nacionais portugueses, portanto podemos concluir que HÁ UMA TEORIA PORTUGUESA!!!

Certamente uma pessoa que não esteja familiarizada com os símbolos portugueses,   olha para a face das inscrições da Pedra de Dighton, como um burro para um palácio...

Caro leitor,  faça a si mesmo um grande favor, visite Portugal, porque fará uma viagem inesquecível e vai ver que depois e regressar poderá  escrever sobre as inscrições originais da Pedra de Dighton com muito mais conhecimento e muito maior  satisfação.

Deixe de ser macaco de imitação, porque se continuar com esse comportamento, ficará na histórica como uma figura ridícula! Não enxovalhe o seu  nome!

publicado por Instituto Globilíngua às 13:38
 O que é? |  O que é? | favorito

mais sobre mim
Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
RSS
blogs SAPO